Cláudia Cisneiros prestigia apresentações culturais do Maranhão, no Mercado Municipal de São Paulo

A presidente do Ceape Brasil Cláudia Cisneiros esteve na apresentação do São João do Maranhão, na quinta-feira (4), no Mercado Municipal de São Paulo; a festa acontece até sábado (6).

Cláudia Cisneiros e Mauro Borralho, diretor técnico do Sebrae-MA e conselheiro fiscal do Ceape, no Mercado Municipal de São Paulo.

Durante o evento, quem passar pelo local pode degustar as comidas típicas maranhenses, e se encantar com as cores e ritmos das apresentações culturais, que conquistam o público e atraem cada vez mais pessoas durante o mês de junho.

“Ações como essa são importantes na divulgação da cultura do Maranhão, por atrair mais visitantes para o estado, incrementar a economia, e, possivelmente, ampliar oportunidades empreendedoras”, declarou Cláudia Cisneiros.

Nesta ação em São Paulo, serão apresentadas as festas populares do Maranhão. De acordo com a Prefeitura de São Luís, índias e índios do Boi Brilho da Ilha vão fazer apresentações gratuitas durante os três dias de evento no Mercado Municipal. Além disto, haverá degustação de comidas típicas do período junino maranhense para quem visitar o espaço. Arroz de Cuxá e Guaraná Jesus receberão destaque.

Coelhinho da Páscoa, o que trazes para mim?

Ovos de chocolate artesanais são a aposta da empreendedora para conquistar o cliente e aumentar a receita




A vinte dias da Páscoa, a data ainda representa uma boa oportunidade de negócio para mulheres empreendedoras que apostam na produção de ovos de chocolate artesanais.

Para atrair o consumidor e se diferenciar em meio ao mar de ofertas que abarrotam lojas e supermercados nesta época do ano, a cliente Ceape Flora Aparecida de Lima Belchior usa e abusa da criatividade e oferece as guloseimas em sabores inusitados e formatos diferenciados.

Formada em Administração, Flora Lima trabalha com confeitaria há 27 anos e há cinco anos com ovos de páscoa. E durante esse período, Flora conheceu o Centro de Apoio aos Pequeno Empreendimentos (Ceape) e se tornou cliente da instituição; ela conta que os financiamentos feitos no Ceape são de fundamental importância para conseguir manter os negócios. “Comecei com R$ 130 e fui investindo aos poucos, e o Ceape foi uma descoberta agradável na minha vida de empreendedora”, disse a confeiteira.

Os ovos são produzidos nos tamanhos 150g, 250g, e 300g. O faturamento bruto proporcionado é de cerca de R$ 4 mil; o faturamento líquido fica na casa de R$ 2.650. Para a Páscoa 2019, Flora Lima estima um crescimento de 30%.

No Dia Mundial da Água, Ceape Sanear comemora com atividades de educação e conscientização

Abundante em recursos hídricos, o Brasil sofre, no entanto, com crises de desabastecimento, desperdício crônico de água e tem dificuldade de conseguir resolver o problema do acesso ao saneamento básico, foco principal do Sanear, programa do Centro de Apoio aos Pequenos Empreendimentos (Ceape).

O país tem uma das maiores reservas de água doce do mundo (12,8% do total). Mas esse recurso está distribuído de forma irregular no território brasileiro, e pouco é feito para preservá-lo. A região Norte tem aproximadamente 70% da água doce e apenas 6% da população do Brasil vive nesta área.

A quantidade de água na região Norte impõe desafios ao gerenciamento da água, como a alta taxa de desperdício. O país perde hoje, em média, 38% de água potável produzida, pois, por décadas se foi ensinado que há recursos hídricos em abundância, e que por conta disso poderia ser feito qualquer coisa com eles.  

Devido o desperdício de água no país, e por ainda predominar a desinformação, no Dia Mundial da Água, comemorado em 22 de março, colaboradores do Ceape Sanear participaram de um evento em Castanhal (Pará), com representantes da prefeitura daquela cidade, da Secretaria Municipal da Indústria e Comércio, do Sebrae, e da comunidade local.

O evento aconteceu no salão paroquial da Igreja Católica de Castanhal, e o público consiste nos moradores do bairro Bom Jesus. Na ocasião, os colaboradores do Ceape Sanear explicaram que saneamento não é somente construir tubo de esgoto, mas que, com investimentos em prevenção é possível evitar uma série de doenças cuja solução é simples, como diarreia, leptospirose, hepatite A, dermatites, e as relacionadas ao mosquito Aedes eagypti.

Com a ajuda de informática, crianças e adultos com necessidades especiais conseguem superar problemas motores e na fala

O presidente do Ceape com autoridades da Polícia Militar do Maranhão, e palestrantes na abertura do evento

O respeito à diversidade e à potencialidade de cada pessoa é algo essencial para o desenvolvimento de uma sociedade. E é justamente por essa preocupação, que o Centro de Apoio aos Pequenos Empreendimentos (Ceape) procurou o Centro de Equoterapia da Polícia Militar do Maranhão (CEPMMA), instalado no Comando Geral, no bairro do Calhau, em São Luís, para colaborar com o desenvolvimento de atividades voltadas à crianças e jovens com necessidades especiais.

“Acredito que a melhor forma de se atingir uma sociedade inclusiva é por meio de atividades que respeitem as diferenças, promovam a aprendizagem e atendam às necessidades de cada pessoa”, declarou o presidente do Ceape, o advogado Jezanias do Rêgo Monteiro, durante o evento de encerramento da semana de planejamento do CEPMMA para o início das atividades de terapia ocupacional do calendário 2019.

O evento foi realizado pelo CEPMMA, cujo diretor é o coronel William de Ataíde Pereira, no dia 8 deste mês, no auditório do Comando Geral. Todas as atividades do Centro de Equoterapia se iniciarão na segunda-feira (11). Além de Jezanias Monteiro, participaram do evento o comandante Geral da Polícia Militar do Maranhão, o coronel Jorge Luongo, policiais militares, o presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), Marcos França de Jesus, pais e alunos, que, inclusive, receberam fardamento para serem utilizados durante as sessões; e a pedagoga Marilan Audryn Borges de Souza, que coordena a equipe de profissionais da Inforterapia e realizou a palestra “Pais e Filhos”.

A Inforterapia trata-se de uma sala de informática construída e mobiliada pelo Ceape, e que complementa as atividades de terapia ocupacional oferecidas pelo CEPMMA. Quando foi inaugurado em 2018, o cyber espaço se apresentou como uma alternativa a mais para pais e mães de todo o estado do Maranhão, que estavam com seus filhos inscritos na equoterapia, do centro de reabilitação da PM.

A inforterapia tem apenas um ano, mas já atende 72 pessoas semanalmente. Já o Centro de Equoterapia da Polícia Militar foi criado no dia 20 de janeiro de 2005, por meio do Decreto Lei 21.02. Nesses 14 anos de CEPMMA, segundo o diretor do Centro mais de 10 mil pessoas já foram atendidas.

A pedagoga Marilan Audryn Borges de Souza informou que a inforterapia utiliza oito máquinas, ligadas em rede, e conta com equipamentos como webcam, scanner, e impressora a laser, ou a jato com tinta colorida, havendo ainda uma TV Smart. Há ainda materiais lúdicos como brinquedos para o desenvolvimento pedagógico.

A coordenadora pedagógica da sala de informática afirma que nela é feito também o trabalho de educação, voltado para crianças autistas e com síndrome de down já alfabetizadas, quando a leitura e a escrita são estimuladas por sua equipe de profissionais.

“Além dos computadores, utilizamos jogos e atividades para o desenvolvimento da coordenação motora das pernas e das mãos. E para as crianças que ainda não conseguem ter esse desenvolvimento da escrita, oralidade e leitura, aplicamos materiais concretos para trabalhar a especificidade do praticante”, informou Audryn.

PROCEDIMENTO

Para dar início ao tratamento, é necessário um laudo e encaminhamento médico do paciente ao Centro de Equoterapia. Os familiares devem também entregar documentos que comprovem o endereço residencial do paciente, fotos no formato 3×4 da pessoa que será assistida, e carteira de vacinação sem pendências. Um formulário é preenchido no CEPMMA do Comando Geral, sendo que o próximo passo é a família do paciente aguardar uma fila de espera, até que seja aberta uma vaga no programa.

Os alunos matriculados na equoterapia do CEPMMA automaticamente estão inseridos na inforterapia. Marilan Audryn informa que os pacientes assim que terminam as aulas no picadeiro, eles são levados para a sala de informática.

O picadeiro é uma área coberta com arquibancadas, que tem uma dimensão de 40 metros de largura por 60 metros de comprimento. Nele, oito cavalos treinados da Polícia Militar costumam ser utilizados no atendimento de até 180 crianças e jovens por mês. “Em breve, vamos receber mais cinco cavalos adestrados da Associação Nacional de Desportos para Deficientes (Ande)”, anunciou o coronel William de Ataíde, durante evento que encerrou a semana de planejamento do CEPMMA.

A programação de datas e horas das aulas pode ser consultada diretamente com o CEPMMA, pelo telefone (98) 3213-1658.

Ceape e Water.org ajudam a expandir os serviços de saneamento básico adequado

Projeto Ceape Sanear

A falta de saneamento básico continua sendo um dos problemas mais sérios do mundo. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), negligenciar a importância do saneamento básico costuma ser um mal global. No Brasil, uma Medida Provisória, a 844, perdeu a vigência em novembro de 2018, adiando mais uma vez as mudanças necessárias para que o país consiga sair do século 20, no que se refere a fornecimento de água e a coleta e tratamento de esgoto.

O Brasil tem como meta universalizar o saneamento básico até 2033, mas pouco menos de 52% da população têm acesso à coleta de esgoto, e o tratamento atinge apenas 45% do volume produzido.

Para ampliar os serviços de saneamento nas 30 cidades onde o Ceape Sanear atua, localizadas nos estados de São Paulo, Maranhão, Tocantins e Pará, há sete meses (Agosto de 2018) o programa foi criado e, desde o início tem a parceria da water.org.

“Essa parceria é considerada fundamental. Estamos trabalhando um mecanismo pelo qual financiamos crédito, e ofertamos serviços para pessoas carentes que, muitas vezes, precisam apenas construir um banheiro dentro de suas residências”, declarou Nathalia Costa Pereira, que é a coordenadora do Ceape Sanear.

Water.org

A Water.org foi fundada em 2009 e a iniciativa tem um objetivo especial: garantir saneamento básico e levar água tratada à população que não tem acesso ao recurso. O ator norte-americano Matt Damon é um dos fundadores da ONG e luta ao lado do parceiro Gary White, para garantir água limpa às comunidades carentes de vários países.

Na quarta-feira, 13 de março, Gary White esteve em São Luís, e visitou a sede do Ceape, na Rua Oswaldo Cruz, Centro. Na ocasião, Gary foi recebido por Nathalia, pelo coordenador de marketing do Ceape, Jerry Oliveira, e pelo economista da instituição Rooselvet Lima Silva. O sócio presidente da Water.org disse que a motivação em ter criado a ONG se deu ao fato de existir 2,3 bilhões de pessoas em todo o planeta carentes de saneamento adequado, segundo dados recentes da Organização Mundial da Saúde (OMS). Conforme os números da OMS, mais de 800 mil pessoas morrem anualmente, em todo o mundo, vítimas de diarreia, por não ter acesso à água segura, ou por falta de saneamento e higiene.

“Queremos oferecer melhorias. Mas, ao mesmo tempo, nós da Water.org não poderíamos oferecer de forma grátis os incentivos financeiros”, disse Gary White, ao continuar: “Precisamos (ONG e Ceape Sanear), estar atentos às demandas, ao que o cliente está necessitando, porque é assim que vamos conseguir trabalhar, e alcançarmos as nossas metas. A equipe está preparada, e hoje vivemos uma crise de água e saneamento. Essa é a minha expectativa, de termos um olhar voltado às necessidades do cliente”, frisou Gary.

VISITAS E CASES DE SUCESSO

Durante sua permanência na capital maranhense, Gary White visitou casas de pessoas assistidas pelo projeto, que moram nos bairros da Cohab, Coroadinho, Bairro de Fátima; Gary esteve, respectivamente aos bairros, nas casas das clientes Maria Juscilene, Antônia Olindina, e Conceição Santos.

De acordo com Nathalia Costa, o Ceape Sanear começou em novembro de 2018, e nesses últimos cinco meses, mais de 120 famílias já foram atingidas pelo projeto.

Uma dessas famílias é a da ‘dona’ Antônia Olindina da Hora, uma senhora de 66 anos, que desde 2017 permanecia sem banheiro em sua casa, até que procurou o Ceape e foi inserida na linha de crédito do Ceape Sanear. ‘Dona’ Antônia mora no mesmo endereço, no Coroadinho, há 30 anos; há dois estava sem banheiro.

O banheiro da aposentada foi construído pela primeira vez pela Prefeitura de São Luís, segundo informações de uma das filhas da ‘dona’ Antônia, a Maura Olindina. Mas, em 2017, as paredes do compartimento utilizado para a higiene pessoal da família caíram, ficando em pé somente o vaso sanitário. Segundo relatos de Maura, na ausência das paredes do banheiro, as necessidades fisiológicas dos moradores da residência eram feitas sem nenhuma privacidade; e as pessoas que residem na casa da ‘dona’ Antônia Olindina da Hora já teriam por várias vezes recorrido ao espaço de higiene pessoal, da casa de vizinhos e parentes-vizinhos.

Mais informações sobre como conseguir um financiamento pelo Ceape Sanear, podem ser solicitadas pelo 0800 885 0135.

O Ceape Sanear libera créditos de R$ 500 a R$ 10 mil, com parcelas de até 24 vezes. Esse financiamento deve ser aplicado para situações como, construção ou reforma de banheiro ou fossa séptica; caixa d’água, biodigestor, e cisterna.

Minha história é a do Ceape


CLÁUDIA CISNEIROS – Diretora Executiva

Há 30 anos, minhas manhãs, tardes, e às vezes também as noites são dedicadas ao Centro de Apoio aos Pequenos Empreendimentos (Ceape), uma paixão que se iniciou em 1989, e que nunca esmoreceu. 
Naquele ano, nascia a Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip), criada pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), e que inicialmente se chamou Associação para o Desenvolvimento da Mulher na Economia Informal (Adim). Iniciei minha participação como voluntária, e nos tempos atuais sou diretora executiva. 
A associação teve como principal medida econômica a de beneficiar diretamente a vida de mulheres mães, com filhos crianças fora do ambiente escolar. O objetivo da Adim era gerar emprego e renda para essas mulheres que, em contrapartida, deveriam matricular seus filhos no ensino correspondente à idade deles à época.
Nos primeiros três anos, o Unicef investiu no projeto, quando disponibilizou o total de U$ 150 mil. Depois, a Adim precisaria se tornar autossustentável. E assim foi. Um estatuto social, criado desde o início da Oscip, rege a entidade até os dias de hoje. Sandra Albuquerque de Castro e Costa Dino foi a primeira pessoa a ocupar o cargo de presidente da Adim, e a Associação Comercial do Maranhão (ACM) participou diretamente do projeto, desde a criação dele; de 89 a 92, a Adim funcionou em duas salas da ACM, localizada no Centro Histórico de São Luís.
O Fundo das Nações Unidas para a Infância, antes de criar a Adim, criou o Centro Ana Terra, em Porto Alegre (RS). Depois, criou mais dez organizações em todo o Brasil. Mas foi em 1993 que o nome Adim foi substituído por Ceape-MA, devido a criação dessas outras instituições e que, também devido a elas, foi fundada a Federação Nacional de Apoio aos Pequenos Empreendimentos (Fenape). O Ceape funciona atualmente na Rua Oswaldo Cruz, centro de São Luís (MA), e de Ceape-MA passou a ser denominado Ceape-Brasil, devido a sua permanência em mais três estados brasileiros.
O Ceape tem 30 agências, espalhadas pelo Maranhão, Pará, Tocantins e São Paulo, e já disponibilizou quase R$ 2 bilhões de crédito para pequenos empreendedores, homens e mulheres com idade mínima de 18 anos. Atualmente, dos 23.618 clientes ativos, 15.366 são mulheres, isso significa 65% do total. E neste ano, a instituição completou seus 30 anos no dia 3 deste mês. 
Três décadas de existência podem significar uma vida marcada por estabilidade crescente, e também por desafios significativos para o Centro de Apoio aos Pequenos Empreendimentos. Ouso dizer que essa é a “melhor idade” para a instituição. E estamos em festa, e agradecimentos, porque há êxito nos rastros dessa trajetória, e minha história é, também, a do Ceape.